Um grupo espanhol com 50 homens, oriundo da Galiza, vai reforçar esta terça-feira os meios que estão envolvidos no combate ao incêndio na região da Guarda, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) local.

Os trabalhos de combate estão a decorrer favoravelmente com três meios aéreos no terreno e está a chegar [ao local] um grupo espanhol [de combate a incêndios] com 50 homens”, disse a fonte do CDOS pelas 10h00.

Segundo o CDOS da Guarda, as chamas, que começaram na segunda-feira pelas 13h15 em Rochoso, no concelho da Guarda, e evoluíram para os concelhos vizinhos de Almeida, Pinhel e Sabugal, estão neste momento com três frentes ativas.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro disse à agência Lusa que o combate às chamas está a “correr bem”, mas o fogo progride com duas frentes ativas. “Os trabalhos de combate estão a decorrer favoravelmente”, disse a fonte do CDOS às 12h15.

Segundo o CDOS da Guarda, o fogo evoluiu para os concelhos vizinhos de Almeida, Pinhel e Sabugal. Às 12h25 o fogo rural estava a ser combatido por 392 operacionais e 127 viaturas e três meios aéreos, segundo informação disponibilizada na página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

A mesma fonte acrescentou que as chamas, que pelas 10h00 estavam com três frentes ativas, estão agora com duas, sinal de que a ação dos meios no terreno “está a correr bem”. Também pelas 10h00 estava cortada a circulação ferroviária na Linha da Beira Alta, entre a Guarda e Vilar Formoso, devido ao incêndio.

No distrito da Guarda regista-se outro incêndio, em Murça, Vila Nova de Foz Côa, que envolve no seu combate 41 homens, dez viaturas e três meio aéreo.

*notícia atualizada às 13h33 com novas informações