O Inverno chegou e os spoilers também. Se ainda não viu o primeiro episódio da nova temporada de “Guerra dos Tronos”, leia com cautela.

Um guia para seis temporadas: tudo o que já aconteceu na “Guerra dos Tronos”

A estreia do primeiro episódio da sétima temporada da série norte-americana “Guerra dos Tronos” — no domingo nos EUA, na segunda-feira em Portugal — deixou muitas perguntas na cabeça dos fãs. Mas um utilizador do fórum Reddit pode ter desvendado o futuro da personagem de Sir Jorah Mormont, que sofre da doença dos homens de pedra, também conhecida como “a maldição do príncipe Garin”.

As cinco perguntas que marcam o regresso de Game of Thrones

Aparece apenas por alguns segundos, de perfil. O espetador apenas consegue ver um braço decrépito, estendido para fora de uma cela na Cidadela – onde estudam os mestres do universo de George R.R. Martin. Trata-se de Jorah Mormont que, no final da sexta temporada foi ordenado por Daenerys Targaryen a procurar uma cura para aquela que é a doença mais maligna da série.

A doença dos homens de pedra (greyscale) é uma doença degenerativa que escurece e transforma em pedra a pele saudável, deixando-a com um aspeto de escamas de terra. Paralelamente, afeta o sistema nervoso fazendo com que as pessoas afetadas percam o comportamento humano e só pode ser transmitida pelo toque.

O futuro de Jorah parecia decidido na última temporada, uma vez que as pessoas afetadas pela doença acabam por se tornar em homens de pedra, tal como aquele que atacou Sir Mormont. Mas o utilizador Beastmodekait, do Reddit, reparou num detalhe do primeiro episódio e juntou as peças daquela que já se tornou uma das teorias mais prováveis para o futuro da série – tão incerto agora que não há livros por onde se guiar.

E aquele sexto livro? Até quando vamos ter de esperar, George R.R. Martin?

Neste episódio vemos Samwell Tarly a entrar na secção proibida da biblioteca da Cidadela. Inicialmente, o jovem aprendiz de mestre procura a localização de vidro-dragão (dragon-glass), que ele sabe ser capaz de matar os Caminhantes Brancos, tal como vimos na sexta temporada.

Mas o que Samwell Tarly talvez não saiba é que a vidro-dragão tem propriedades curativas para além daquelas que os mestres já conhecem.

Uma imagem tirada ao episódio mostra o livro roubado por Samwell e podem ler-se excertos sobre as caraterísticas terapêuticas do material que, diga-se de passagem, é extremamente raro. Nas palavras de Jon Snow “é mais valioso para nós agora do que ouro”.

Podem ler-se coisas como “[o vidro-dragão] pode ser uma cura… contra as infeções… cuja ingestão provoca poucos danos”.

Segundo a discussão no Reddit, o vidro-dragão seria a solução para a doença de Jorah Mormont, e permitiria que o mesmo voltasse para ajudar Daenerys a conquistar os sete reinos.

Porque é que esta teoria faz sentido?

Ao longo da série, têm vindo a ser dadas algumas pistas sobre as propriedades do vidro-dragão. Por exemplo, no sexto episódio da sexta temporada, vemos Benjen Stark regressar após várias temporadas perdido além da Muralha para salvar o seu sobrinho Bran. Ao ser atacado por Caminhantes Brancos, vemos os meninos-do-bosque a salvar a vida de Benjen ao enterrar um punhal de vidro-dragão no seu peito.

Shireen Baratheon

Outro caso é o de Shireen Baratheon, um dos poucos casos de sucesso no que diz respeito a curar a doença dos homens de pedra. Baratheon vivia em Dragonstone, a fortaleza onde Daenerys desembarca neste primeiro episódio e o sítio onde Samwell Tarly descobre existir pedra-dragão em abundância. Nunca foi revelado o motivo da cura de Shireen, que ficou para sempre cicatrizada; apenas se sabe que foi alvo de várias terapias. O seu destino foi um pouco mais infeliz, ao ser queimada viva como um sacrifício ao Senhor da Luz, na quinta temporada, mas, ainda assim, não deixa de fazer sentido que Shireen Baratheon, ao viver numa fortaleza repleta de vidro-dragão, tenha conseguido controlar os efeitos da doença.

Só saberemos com toda a certeza quando “A Guerra dos Tronos” regressar, já na próxima semana.