O indicador de clima económico em Portugal prolongou em junho a subida registada desde o início do ano, atingindo máximos de 15 anos, e o indicador de atividade económica voltou a subir em maio, divulgou esta quarta-feira o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade) subiu para os 2,1 pontos em junho (2,0 pontos em maio).

Este indicador aumentou entre janeiro e junho, atingindo o valor máximo desde junho de 2002, sinaliza.

o indicador de atividade económica aumentou entre março e maio, após ter estabilizado em fevereiro e “prolongando a trajetória ascendente iniciada em agosto de 2016”.

O indicador quantitativo do consumo privado aumentou em maio, dando continuidade ao movimento ascendente do mês anterior, com a evolução do indicador a refletir um contributo positivo mais intenso da componente de consumo corrente, tendo o contributo da componente de consumo duradouro estabilizado.

No mesmo mês, refere ainda o INE, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aumentou, prolongando a expressiva trajetória ascendente iniciada em junho de 2016, em resultado do comportamento de todas as componentes, material de transporte, máquinas e equipamentos e construção, com destaque para esta última.