Dois altos funcionários da Infraestruturas de Portugal — um dos quais ex-deputado do PSD — foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Marquês. Luís Marques e José Luís Ribeiro dos Santos estão, segundo a SIC, a ser investigados por ligações ao projeto do TGV.

O ex-deputado social-democrata (que passou pela Assembleia da República entre 2002 e 2005, nos Governos de Durão Barroso e Santana Lopes), eleito por Santarém e engenheiro de profissão, passou pela construtora Lena no seu percurso profissional. Passa a integrar o lote de 30 arguidos (incluindo os dois mais recentes) de entre os quais se destaca José Sócrates.

O antigo primeiro-ministro é investigado por suspeitas dos crimes de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. Outras figuras de relevo visadas no processo são Armando Vara, ex-ministro e ex-administrador da CGD, Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, Paulo Lalanda de Castro (grupo Octapharma), Henrique Granadeiro e Zeinal Bava, antigos administradores da Portugal Telecom, o empresário Hélder Bataglia, Carlos Santos Silva, amigo do antigo primeiro-ministro e considerado testa-de-ferro de Sócrates, Joaquim Barroca, empresário do grupo Lena, entre muitos outros, incluindo empresas.