O resultado da autópsia ao ex-presidente da Caja Madrid, condenado a seis anos de prisão em fevereiro, confirma que Miguel Blesa se suicidou. A informação está a ser avançada pelo El Confindencial, que cita fontes próximas da investigação à morte de Blesa.

De acordo com o jornal, os ferimentos encontrados do cadáver “são compatíveis com suicídio”. Miguel Blesa foi encontrado morto esta quarta-feira numa quinta em Córdoba, no sul de Espanha, e as primeiras indicações da polícia já apontavam para suicídio. O corpo do antigo presidente do Caja Madrid foi encontrado com tiros no peito. Blesa tinha licença para 15 armas, de acordo com a imprensa espanhola, já que praticava caça.

Miguel Blesa foi condenado a seis anos de prisão por delitos fiscais, no julgamento de desvio de fundos no Bankia, sucessor do Caja Madrid, que envolveu 65 altos quadros do banco. Os executivos da instituição bancária detinham cartões de crédito para despesas ilimitadas que, assim, não tinham de declarar ao fisco. Blesa teve a pena mais pesada, seguido do antigo diretor-geral do Fundo Monetário Internacional e seu sucessor no banco, Rodrigo Rato, que teve uma pena de prisão de quatro anos e meio.

Encontrado morto banqueiro espanhol condenado por delitos fiscais