O governo alemão e a cidade de Hamburgo vão atribuir 40 milhões de euros de indemnizações pelos danos resultantes dos distúrbios registados durante a reunião do G20, nos dias 7 e 8 de julho. As indemnizações vão ser divididas entre o governo federal e o estado de Hamburgo, onde se realizou a conferência, refere, esta quinta-feira, o jornal Stuttgarter Zeitung que cita fontes do Ministério das Finanças.

Os pagamentos são destinados aos cidadãos lesados diretamente pelos distúrbios em que arderam viaturas e estabelecimentos comerciais foram saqueados em vários pontos de Hamburgo.

Os confrontos envolveram grupos de jovens conectados com “organizações antissistema” nas zonas de St Pauli e Schanzenviertel, no centro da cidade de Hamburgo.

Manifestantes recebem líderes do G20: “Bem vindos ao inferno”

De acordo com dados oficiais, 467 agentes ficaram feridos e registaram-se 186 detenções sendo que 27 das quais resultaram em ordem de prisão.

No final da conferência, a chanceler alemã, Angela Merkel, comprometeu-se a indemnizar os cidadãos afetados pelos distúrbios.

O governador da cidade-estado de Hamburgo, o social democrata Olaf Scholz, fortemente criticado pela falta de coordenação das forças de segurança, dirigiu um pedido de desculpas aos habitantes da cidade.