A Direção Nacional de Veterinária de Moçambique levantou a proibição de importação de ovos férteis da África do Sul, mas manteve a interdição da importação de aves domésticas e selvagens, indica um comunicado citado esta quinta-feira pelo Jornal Notícias.

A nota explica que a medida resulta da monitorização que a Direção Nacional de Veterinária de Moçambique tem vindo a realizar à gripe aviária detetada no mês passado na África do Sul. Uma equipa da Direção Nacional de Veterinária de Moçambique deslocou-se à Africa do Sul para verificar o estado da gripe aviária no país.

A equipa produziu um relatório com uma recomendação no sentido do levantamento da proibição de importação de ovos férteis da África do Sul.

As autoridades moçambicanas mantêm a proibição na importação e trânsito de carne fresca ou congelada de frango, penas, ovos férteis e de consumo do Zimbábue e RD Congo, devido à prevalência da gripe aviária.

A Direção Nacional de Veterinária de Moçambique acrescenta que apenas as autoridades sul-africanas têm informado os países vizinhos da evolução da situação da gripe aviária.

Na sequência da eclosão desta doença, a África do Sul e o Zimbabué abateram milhares de aves nas regiões afetadas e têm estado a desinfetar instalações suspeitas e a intensificar a vigilância sanitária.