As bolsas europeias seguem esta sexta-feira ligeiramente negativas, depois do Banco Central Europeu (BCE) ter na quinta-feira deixado, conforme se previa, as taxas de juro inalteradas.

Às 8h30 de Lisboa, o Eurostoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, seguia a recuar 0,24% para 3.491,10 pontos. As principais bolsas europeias estavam a transacionar entre as perdas de 0,22% de Paris e as 0,32% de Madrid.

Lisboa seguia a negociar quase inalterado, com o principal índice, o PSI20, a avançar 0,01% para os 5.314,84 pontos.

O presidente BCE, Mario Draghi, disse na quinta-feira que a informação disponível confirma “o fortalecimento do crescimento económico” na zona euro, mas defendeu que ainda é preciso persistência.

O Conselho de Governadores do BCE decidiu, sem surpresas, manter a sua principal taxa de juro em 0%, um mínimo histórico, e afirmou que mantém as compras mensais de dívida pública e privada na zona euro em 60 mil milhões de euros, estando disponível para alargar as aquisições “se as perspetivas passarem a ser menos favoráveis”.

O presidente do BCE disse que o Conselho de Governadores não quer que piorem as condições de financiamento e mantém a possibilidade de ampliar as compras de dívida caso o panorama fique pior.

O presidente do BCE explicou que houve unanimidade para manter a orientação da política monetária e remeteu a discussão sobre a redução dos estímulos para o outono.

No que se refere às divisas, o euro seguia a valorizar face ao dólar e trocava-se, na abertura, a 1,1639 dólares, em máximos desde agosto de 2015, enquanto no mercado de matérias-primas, o crude de referência na Europa, o Brent, seguia a subir ligeiramente até aos 49,32 dólares por barril.