Um homem de 33 anos foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) do Centro, na passada terça-feira, 18 de julho, quanto regressava ao Estabelecimento Prisional de Coimbra, depois de mais uma saída precária, com 100 doses de haxixe no ânus, conta fonte da PJ ao Observador.

O recluso integrava um grupo que atua dentro da prisão, e ainda se encontra a cumprir pena de 19 anos e meio de prisão por furto e roubo. O recluso tinha escondido outra quantidade equivalente no Jardim da Sereia, em Coimbra, que se situa mesmo ao lado do Estabelecimento Prisional. O objetivo, segundo a PJ, seria alguém ‘levantar’ a droga posteriormente.

Até agora, a PJ conseguiu identificar três meios de entrada de droga no estabelecimento: através do arremesso de droga e telemóveis pelo muro prisional; através dos reclusos que beneficiam de “saídas precárias”; ou ainda por reclusos que se encontram a realizar trabalho comunitário fora da cadeia, com um “controlo mais reduzido”.

A detenção ocorreu ao abrigo de uma investigação de narcotráfico que vem sendo levada a cabo desde fevereiro pela PJ do Centro e que ainda está a decorrer.

Nesta investigação a PJ conta com a colaboração dos sistemas prisionais que, segundo a fonte, têm um papel crucial e são os primeiros a querer ver erradicado o tráfico dentro dos estabelecimentos. Os trabalhos neste momento centram-se na identificação do modus operandi do grupo organizado que age “quer para consumidores, quer para os traficantes, com coação e violência”.