O primeiro dos filmes “Star Wars”, realizado por George Lucas em 1977, criou uma legião de fãs por esse mundo fora, devidamente fidelizada pelos restantes episódios da saga, que prepara já mais dois filmes, um dos quais poderemos ver este ano e o outro em 2019. Toda a gente – os fãs, é claro – não perdiam a oportunidade, especialmente no Carnaval, de encarnar as suas personagens favoritas, eles um cavaleiro Jedi e elas a princesa Leia, apesar de também haver quem gostasse dos robots R2D2 e C-3PO.

Os miúdos de 1977 têm hoje cerca de 50 anos, pelo que é com um algum saudosismo que vêem as suas crianças esgrimir os sabres de luz e a encarnar os personagens de Luke Skywalker ou Obi-Wan Kenobi. Mas, em matéria de materialização do sonho, a espada dos Jedi e um ou outro fato alusivo à saga eram tudo o que havia disponível no mercado.

Foi necessário esperar 40 anos para que finalmente surgisse um dos veículos utilizados na série criada por George Lucas. E, felizmente, não é a Estrela da Morte à escala 1:1. O que a indústria dos brinquedos agora propõe aos miúdos – ou melhor, aos pais para oferecem aos filhos – é uma versão reduzida do Landspeeder, o veículo de Luke Skywalker. E eléctrico – sim, porque os Jedi eram muito amigos do ambiente.

Produzido pela Radio Flyer, especialista em artigos para crianças, o Landspeeder atinge 8 km/h – não queremos que o Luke seja apanhado em excesso de velocidade – e é capaz de dar gozo à miudagem durante algum tempo, dependendo da utilização da bateria, que por sua vez varia com o peso das crianças e perfil do terreno.

Como é a Toys”R”Us que comercializa o Landspeeder nos EUA (por cerca de 500 dólares), é bem provável que o brinquedo seja também comercializado entre nós. Ocorre-nos uma dúvida: será que um adulto consegue sentar-se lá dentro?

[jwplatform jaIw9Dmo]