Um dos 33 magistrados do Tribunal Supremo paralelo formado na Venezuela pela oposição do Presidente Nicolás Maduro foi detido no sábado, anunciou o Parlamento, onde a oposição detém a maioria.

A informação sobre a detenção de Angel Zerpa Aponte foi divulgada na conta do Parlamento na rede social Twitter.

“Condenamos a detenção arbitrária pelos serviços de segurança deste magistrado eleito constitucionalmente”, disse o presidente do parlamento, Julio Borges.

O Parlamento empossou, na sexta-feira, 33 magistrados para formar um Tribunal Supremo de Justiça paralelo, durante uma sessão pública numa praça de Caracas. A oposição estima que os juízes atuais do Tribunal Supremo foram designados ilegalmente pela antiga maioria chavista (designação derivada do nome de Hugo Chavez, Presidente desde 1999 até à sua morte em 2013).

O Parlamento é controlado pela oposição de Nicolás Maduro desde as eleições legislativas de dezembro de 2015.

Greve de 48 horas na quarta e quinta-feira

A oposição venezuelana convocou no sábado uma greve de 48 horas para quarta-feira e quinta-feira contra o Presidente Nicolás Maduro e contra o seu projeto de alterar a Constituição.

“Convocamos toda a população, todos os setores, para 48 horas de greve cívica”, disse durante uma conferência de imprensa o deputado Simon Calzadilla, em nome da Mesa da Unidade Democrática (MUD), a coligação da oposição.

O mesmo deputado anunciou para a próxima sexta-feira, 28 de julho, uma manifestação para exigir que o Presidente Maduro “retire” o seu projeto de Assembleia Constituinte.

É no domingo, 30 de julho, que devem ser eleitos os 545 membros da Assembleia Constituinte para fazer alterações à Constituição venezuelana.