O luto é algo muito pessoal e íntimo, o que faz com que muita gente opte por escondê-lo ou não o manifestar. Não é o caso de Winston Howes. O agricultor, atualmente com 75 anos, passou uma semana a plantar carvalhos depois da sua mulher Janet morrer, em 1995, e o resultado pode mesmo surpreender.

As árvores foram espalhadas ao longo de seis hectares, mas com uma forma de coração convenientemente deixada no meio delas. Tudo isto se manteve em segredo familiar, até Andy Collet, um piloto de balão de ar quente, reparar no curioso formato e tirar um fotografia. “Foi a coisa mais impressionante que já vi do céu. Quem está em terra não consegue imaginar o que ali está”, disse Collet, citado pelo jornal ABC.

Do amor nasceu um bosque que agora é visitado por Winston para relembrar os momentos que teve do seu casamento, numa espécie de santuário. A ponta do coração no bosque, que se tornou famoso 17 anos depois de ser construído, aponta diretamente para a localidade de Wotton Hill lugar onde Janet nasceu.

Quando o trabalho se tornou conhecido, Winston Howes contou que achou “uma boa ideia plantar milhares de carvalhos”. Só é possível chegar ao coração ao atravessar uma pequena estrada que vai dar à ponta. Dentro desse pequeno caminho, o agricultor decidiu plantar narcisos que, “na primavera, tornavam a paisagem ainda mais bonita”.

Antonio Vicente, o homem que durante 40 anos plantou uma floresta sozinho