O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou esta segunda-feira os atentados ocorridos na capital afegã, Cabul, e em Lahore, no Paquistão, e manifestou o seu apoio aos governos dos dois países. Através do seu porta-voz, Farhan Hag, o chefe da ONU condenou “contundentemente” o ataque suicida perpetrado pelos talibãs em Cabul, e transmitiu condolências às famílias das vítimas.

Atacar deliberadamente civis constitui uma grave violação dos direitos humanos e da lei humanitária internacional e pode supor um crime de guerra”, disse Guterres, que manifestou solidariedade com as autoridades afegãs.

O atentado, com um veículo carregado de explosivos e dirigido contra funcionários do Governo afegão, provocou pelo menos 31 mortos e cerca de 40 feridos. No vizinho Paquistão, pelo menos 26 pessoas foram mortas, incluindo dez polícias, e 54 ficaram feridas num segundo atentado suicida numa das principais artérias de cidade de Lahore, leste do país.

Guterres condenou o atentado e pediu que os responsáveis compareçam rapidamente perante a justiça.

O chefe da ONU também exprimiu o seu apoio aos esforços do Governo paquistanês para “combater o terrorismo e o extremismo violento com pleno respeito pelas normas e obrigações internacionais de direitos humanos”.