Actualmente, a informação acerca do cliente e do respectivo automóvel reparte-se por uma série de sistemas de informação – dos próprios fabricantes às seguradoras, sem esquecer as oficinas, entre outros. Mas isso pode mudar. “Graças à tecnologia ‘Blockchain’, o cliente de amanhã poderá registar e armazenar toda a informação respeitante ao seu veículo num livrete desmaterializado, único e seguro”, promete a Renault.

Para este projecto, a marca francesa associou-se à Microsoft, que forneceu o acesso à tecnologia “Azure Blockchain”, a qual serviu de base à criação da arquitectura da nova solução, tendo a Viseo, consultora com conhecimentos avançados sobre a referida tecnologia, supervisionado a implementação tecnológica global do projecto, trabalhando lado a lado com uma startup chinesa, a BitSe.

Em comunicado, a Renault faz ainda notar que esta nova solução digital, por ter uma “arquitectura aberta”, permite reunir num único local toda a informação acerca do carro, à qual o cliente pode aceder. As vantagens são óbvias, aponta a marca do losango: “Por exemplo, se um proprietário quiser vender o seu automóvel, pode fazer com que a trajectória do veículo seja mais transparente, autorizando o hipotético comprador a aceder ao livrete digital de manutenção, gerando assim mais confiança entre comprador e vendedor.”

“Este livrete digital permitir-nos-á prestar aos nossos clientes novos serviços, num ecossistema que integra seguradoras e concessionários”, frisa o director do Veículo Digital e Conectado do Grupo Renault, Elie Elbaz. Acrescentando, ainda, que “esta tecnologia vai aportar um significativo potencial de evolução no que toca aos automóveis conectados, e às micro-transacções e requisitos de segurança associados a este tipo de veículos”.