Já estão a ser aplicadas, desde a passada quarta-feira, as novas regras de controlo de dispositivos eletrónicos para quem quer viajar até aos Estados Unidos da América (EUA). Desde que o presidente Donald Trump tomou posse que os EUA têm apertado a vigilância aos que entram no país. Agora, às medidas contra imigração, juntaram-se outras para controlar turistas e trabalhadores em viagens de negócios.

Desde o dia 19 de julho, na passada quarta-feira, que são inspecionados telemóveis, tablets, computadores, câmaras e livros eletrónicos. Este tipo de dispositivos deve ser apresentado ao segurança que estará na porta de embarque do avião. Cabe a cada companhia aérea assegurar que este controlo é devidamente efetuado.

Contactada pelo Observador, a PSP garantiu que “a medida está a ser aplicada em todos os aeroportos, europeus e internacionais, dos quais partem voos para os EUA, ,ou seja, ‘last point of departure‘”. Por isso, se vai viajar para o EUA, prepare-se para que todos os dispositivos eletrónicos que viajam consigo sejam inspecionados.

A mesma fonte referiu que “as referidas medidas de segurança assumem a forma de ’emergency amendements‘ dirigidas às transportadoras aéreas que operam voos para os EUA“.

A medida afetará 280 aeroportos de 105 países de todo o mundo. No total, espera-se que 325 mil passageiros sejam afetados.

Passageiros que esperavam por um voo da Turkish Airlines, no aeroporto de Adolfo Suárez, perto de Madrid.

Esta é uma medida que pretende controlar a utilização dispositivos que possam acionar bombas. Quando a medida foi pensada a intenção era proibir o uso de dispositivos eletrónicos dentro dos aviões, mas depois optou-se por adotar uma regra menos agressiva. Assim, os viajantes poderão utilizar os seus smartphones e computadores durante o voo desde que estes tenham passado antes pelo controlo.