Steve Scalise, o congressista líder dos republicanos na Câmara dos Representantes que foi alvejado no passado dia 14 de junho, deixou esta terça-feira o hospital MedStar, em Washington. Scalise estava internado há seis semanas e chegou a correr risco de vida. A informação foi confirmada pelo próprio hospital.

O congressista fez um “excelente progresso” de recuperação e vai agora começar um “período de reabilitação intensiva para pacientes internados”, informa o hospital em comunicado.

Ele [Steve Scalise] está de bom humor e ansioso para voltar ao trabalho, assim que complete a reabilitação”, pode ler-se ainda no comunicado do hospital MedStar.

Scalise ficou gravemente ferido depois de ter sido atingido na anca por um homem que disparou sobre um grupo de congressistas republicanos. O incidente aconteceu durante jogo-treino de basebol no campo de Eugene Simpson, em Alexandria, no estado norte-americano de Virginia, perto de Washington. Outras cinco pessoas também ficaram feridas sem gravidade.

Atirador que feriu congressista queria “destruir Trump” e foi voluntário na campanha de Bernie Sanders

O congressista esteve “em risco iminente de vida” quando chegou ao hospital, mas a equipa médica conseguiu estabilizar a hemorragia e reduzir o risco. Scalise foi submetido a duas cirurgias.

O atirador chegou a ser levado para o hospital, junto com as outras vítimas, mas não resistiu aos tiros com que foi atingido durante a detenção. Foi identificado como James Hodgkinson, um homem de 66 anos natural de Belleville, no estado do Illinois.