Três dos quatro nomes indicados pelo Governo para a Autoridade Nacional de Comunicações, a Anacom, foram esta quinta-feira chumbados no Parlamento. A esquerda votou ao lado de PSD e CDS para aprovar os relatórios — elaborados por um deputado do PSD — que chumbavam os nomes de Margarida Sá Costa, Francisco Cal, Dalila Teixeira. O PS votou contra, mas não conseguiu evitar o chumbo dos nomes indicados pelo executivo. Só o nome indicado para presidente da entidade, João Cadete e Matos, foi considerado adequado.

A primeira votação deveria ter ocorrido a 19 de julho, mas foi adiada para esta quinta-feira, numa tentativa de evitar que os nomes fossem chumbados. Perante o novo risco de chumbo, o PS tentou adiar a votação, mas os deputados socialistas não conseguiram o apoio de Bloco de Esquerda e PCP para adiar a votação. Pior: ambos votaram contra os nomes indicados pelo executivo de Costa.

Os relatórios alegavam para o chumbo razões diferentes nos três casos. Margarida Sá Costa e Dalila Teixeira por terem ligações à PT/MEO, uma das reguladas, e Francisco Cal por alegadamente não ter currículo na área.