Conhecedora do tipo de clientes que tradicionalmente envereda pelos pequenos compactos de segmento B, muitas vezes desejosos de um pouco mais de emoção, a Opel acaba de dar a conhecer uma versão mais empolgante do Corsa. O Corsa S aposta num pequeno motor a gasolina turbocomprimido e em mais potência para, entre outros argumentos, conseguir acelerações dos 0 aos 100 km/h em menos de 9 segundos.

Espécie de versão maior do hoje em dia popular Adam S, o Opel Corsa S conta com o mesmo motor do modelo mais pequeno, um quatro cilindros 1.4 Turbo a gasolina, a debitar 150 cv. Que, graças ao contributo de uma transmissão manual de seis velocidades, direcciona a totalidade da potência para as rodas da frente, garantindo, entre outros aliciantes, uma velocidade máxima anunciada de 208 km/h.

O novo Corsa S é a escolha certa para todos os condutores desportivos que precisam de um pouco mais de potência, embora com um pouco mais de espaço que no Adam S”, explica, em comunicado, a marca do relâmpago.

No entanto, e porque nem só de prestações vivem os ocupantes (os do Corsa, pelo menos), esta versão surge igualmente equipada de série com alguns mimos extra, como é o caso do pacote aerodinâmico OPC, sinónimo de um spoiler dianteiro, saias laterais e um pára-choques traseiro com difusor integrado, além de uma asa traseira fixa. A que se juntam ainda a ponteira de escape cromada, luzes diurnas em LED e jantes de 17”.

Já no interior, um volante revestido a pele picotada e cortado na base, bancos Recaro também em pele, revestimento decorativos Piano Black com detalhes contrastantes a vermelho e vidros traseiros escurecidos. O equipamento conta ainda com sistema de infoentretenimento R 4.0 IntelliLink com conectividade Apple CarPlay e Android Auto, assim como com a subscrição por um ano do serviço Opel OnStar.

Disponível tanto na variante de três como de cinco portas, o novo Opel Corsa S apresenta preços a partir de 18.400€, no caso da carroçaria mais desportiva, e de 19.085€, para a variante mais funcional. Na Alemanha, pois segundo o que o Observador conseguiu já apurar, não há quaisquer previsões de que o modelo venha a ser comercializado em Portugal.