A taxa de desemprego em Espanha diminuiu para 17,22%, com o país a ter menos 340.700 pessoas à procura de emprego e um número total de desempregados de 3.914.300, a primeira vez desde 2008 abaixo da fasquia dos quatro milhões sem emprego.

O Instituto Nacional de Estatísticas (INE) espanhol publicou esta quinta-feira o inquérito sobre a população ativa que indica uma redução para 17,22% da taxa de desemprego durante o segundo trimestre de 2017, menos 1,5 pontos percentuais e o número mais baixo dos últimos nove anos.

Por outro lado, o número de ocupados aumentou em 375.000 pessoas, para 18.813.300 trabalhadores, o maior número desde o quarto trimestre de 2009, explicado pela incorporação na população ativa de 34.300 pessoas (indivíduos que trabalham ou procuram emprego).

O número de famílias com todos os seus membros ativos no desemprego diminuiu em 117.100 no segundo trimestre do ano, para 1.277.600, o número mais baixo desde o quarto trimestre de 2009.

Se compararmos estes dados com os de há um ano, o número de famílias com todos os membros ativos no desemprego diminuiu em 216.200, enquanto os que têm todos os seus membros ativos empregados aumentou em 439.000.

O desemprego entre os trabalhadores jovens (de 16 a 24 anos) também baixou em 8.000 pessoas no segundo trimestre do ano, sendo agora de 583.800 indivíduos, o que representa una diminuição de 1,35 %.

De acordo com os dados do INE espanhol, a taxa de desemprego dos jovens no final de junho era de 39,53 %, abaixo dos 41,66 % do final do primeiro trimestre do corrente ano e dos 46,48 % de há um ano.