A coordenadora do BE apelou, esta sexta-feira, ao Governo para que tenha uma “ação determinada, pública e política” para clarificar que a Altice está a incumprir a lei com os trabalhadores da PT e defendeu a punição exemplar da empresa.

Para que a Altice não possa dizer que não sabe o que está a fazer e para que haja uma punição exemplar neste caso, que possa dissuadir este procedimento, é essencial que o Governo tenha uma ação determinada, pública, política de clarificar que a lei está a ser quebrada”, disse a coordenadora nacional do BE, Catarina Martins, numa conferência de imprensa esta sexta-feira de manhã na sede do partido, em Lisboa.

De acordo com a líder bloquista, o único argumento que a Altice conhece é o dinheiro e, por isso é necessário que compreenda que esta ação “deve ter uma punição exemplar no nosso país”, referindo-se ao “maior processo de assédio moral aos trabalhadores e de despedimento ilegal” na PT.

Cento e dezoito trabalhadores da PT Portugal passaram a partir de 22 de julho a laborar em empresas detidas pelo grupo Altice e Visabeira, no âmbito de um processo que levou a uma greve na operadora de telecomunicações.