“Sei que a nova fase da campanha seria muito aguerrida, cheia de entusiasmo e de emoções. Embora me sinta melhor [do] que há uns anos, percebo que não possuo a energia suficiente para liderar a campanha de uma candidatura à câmara.”

Foi com estas palavras, num documento enviado à agência Lusa, que Avelino Ferreira Torres, 72 anos, anunciou esta quinta-feira que retirava a candidatura à presidência da Câmara Municipal de Amarante, nas autárquicas de outubro.

O autarca, histórico do Marco de Canaveses, cuja câmara presidiu durante 7 mandatos entre 1983 e 2005, sempre pelo CDS-PP, tinha anunciado a candidatura como independente à vizinha Amarante há pouco mais de um ano. Na altura, as notícias que davam conta do seu regresso à vida política já davam conta da doença contra a qual lutava há dois anos.

No mesmo documento e porque diz que acredita ter “ideias similares” às do social-democrata José Luís Gaspar, atualmente no cargo e, para os amarantinos, “um presidente próximo das pessoas”, Avelino Ferreira Torres anunciou ainda que vai apoiar “com agrado” a sua candidatura. Em contraponto, acusou os socialistas de serem responsáveis pelo “marasmo” e pela “gestão ruinosa” que diz que se verificaram no município nos últimos 24 anos e até 2013.

Esta seria a segunda ocasião em que Ferreira Torres ia a votos na cidade onde mora e de onde é natural. Em 2005 foi derrotado pelo socialista Armindo Abreu mas eleito como vereador pela oposição, cargo que ainda desempenhou mas apenas por escassos meses.