Brexit

Maioria dos apoiantes do Brexit aceitariam danos na economia como consequência da saída da UE

Mais de metade dos eleitores que votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia aceitariam danos na economia para retirar o país da comunidade, de acordo com uma sondagem da YouGov.

ANDY RAIN/EPA

Autor
  • Nuno André Martins

Três em cada cinco eleitores britânicos que votaram pela saída do Reino Unido da União Europeia no referendo do ano passado aceitam que a economia britânica sofra um impacto significativo se a contrapartida for retirar o bloco das comunidades europeias, de acordo com uma sondagem publicada esta terça-feira.

Para os eleitores britânicos, a saída do Reino Unido da União Europeia é uma questão maior que o dinheiro. Foi isto mesmo que a YouGov foi tentar saber numa sondagem onde falou com 2043 eleitores que votaram a favor do Brexit e outros 2.248 que votaram a favor.

Entre as pessoas que votaram a favor do Brexit, 61% terão a opinião que um impacto significativo na economia britânica dessa saída é um custo aceitável para garantir que o Reino Unido abandona a UE. Apenas 20% consideram que um eventual custo dessa ordem de grandeza seria motivo para reverter a sua posição.

Entre os maiores defensores do Brexit, a opinião muda quando questionadas sobre se diriam o mesmo caso o impacto negativo na economia resultante do Brexit se fizesse sentir no seu bolso. Neste caso, apenas 39% dos que defendiam o Brexit independentemente do impacto na economia o continuam a fazer.

A mesma pergunta, ao contrário, foi feita aos eleitores que votaram a favor da manutenção do Reino Unido na União Europeia.

Se a o custo de manter o Reino Unido na UE fosse um impacto significativo na economia, apenas 34% dos consultados manteriam o seu voto.

Por outro lado, cerca de 20% dos que votaram contra o Brexit admitem que eventuais danos elevados na economia seriam um custo aceitável a pagar só para dar uma lição a quem votou a favor do Brexit.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)