Ficção

A Bertrand vai editar A Sétima Praga, a nova aventura da série “Força Sigma” de James Rollins. Neste novo thriller, o norte-americano explora a possibilidade de as dez pragas poderem vir a atingir novamente o Egito, graças à ciência moderna. A 11×17, a coleção de livros de bolso da Bertrand, vai lançar Carrie, de Stephen King.

Pela Suma de Letras vai sair O Jardim das Borboletas, um thriller aterrorizante de Dot Hutchison, e pela Tinta-da-China, no final do mês, Teatro Estático, o novo título da “Coleção Pessoa” (dirigida por Jerónimo Pizarro) com coordenação de Filipa de Freitas e Patricio Ferrari.

Este mês chega finalmente às livrarias a edição da E-Primatur de As Mil e Uma Noites. O primeiro volume, traduzido do árabe (sírio e egípcio) por Hugo Maia, estará à venda a partir de 8 de agosto. Pela mesma editora, irá ainda sair O Fantasma no Palácio dos Engenheiros e outros Contos Russos. O livro, originalmente agendado para o mês de julho, reúne textos de autores como Ivan Bunin, Prémio Nobel da Literatura em 1933, Aleksandr Kuprin ou Turgenev. “Uma antologia invulgar que pretende demonstrar a riqueza do conto russo com textos inéditos em língua portuguesa”, refere a E-Primatur.

Depois de alguns atrasos, vão chegar finalmente às livrarias As Mil e Uma Noites e O Fantasma No Palácio dos Engenheiros, com chancela da E-Primatur. A Sétima Praga, de James Rollins, vai sair pela Bertrand

A Relógio D’Água vai continuar com a publicação das obras de Philip K. Dick: este mês chegam às livrarias dois novos volumes, Os Três Estigmas de Palmer Eldritch e Ubik. Pela mesma editora vai ainda sair Maigret e o Seu Morto e O Quarto Azul, ambos de Georges Simenon, e Um Deus em Ruínas, de Kate Atkinson.

Não é uma novidade de agosto, mas vale a pena tomar nota: no final de julho, chegaram às livrarias as novas edições de A Sibila (com prefácio de Gonçalo M. Tavares) e Dentes de Rato (com ilustrações de Mónica Baldaque), de Agustina Bessa-Luís. Estas são as primeiras duas edições da Relógio D’Água que, em final de abril, anunciou que iria assumir a publicação da autora portuguesa. De acordo com a editora, nos próximos anos será republicada toda a obra de Agustina, que inclui não só os romances pelos quais ficou famosa, mas também peças de teatro, contos infantis e ensaios biográficos, muitos deles esgotados ou fora do alcance dos leitores.

Além das reedições agendadas até ao final deste ano, a Relógio d’Água tem ainda planeadas diversas iniciativas que pretendem assinalar os 95 anos da escritora, no próximo mês de outubro. Estas incluem a projeção de filmes de Manoel de Oliveira e João Botelho baseados nas suas obras, apresentações de livros e debates em várias livrarias, designadamente na Lello no Porto.

Vale ainda a pena lembrar que a Relógio d’Água assumiu a publicação dos livros de Agustina Bessa-Luís depois da polémica em torno da Babel, grupo editorial que detinha, há muito, os direitos de publicação da obra da autora. De acordo com um artigo da revista Sábado, de março deste ano, o grupo editorial admitia não poder continuar a pagar tanto a uma escritora que vendia tão pouco, tendo inclusivamente mandado retirar todos os livros de Agustina da sua livraria na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa.

A nova edição de A Sibila saiu pela Relógio D’Água. Carrie, de Stephen King, foi editada pela 11×17 e O Jardim das Borboletas, de Dot Hutchison, pela Suma de Letras

Não-ficção

Com o regresso às aulas em mente, em agosto, a Guerra & Paz vai publicar o livro Do Secundário à Universidade com Sucesso — Bora Lá?, de Jorge Rio Cardoso, autor de Este Ano Vais Ser o Melhor Aluno – ‘Bora Lá?, lançado pela mesma editora no ano passado. Este reúne exemplos práticos para desenvolver um método de estudo adequado, boa comunicação oral e escrita e uma relação com a escola, entre outros.

No dia 11 de agosto, chega às livrarias com chancela da Pergaminho Switchwords, o bestseller internacional de Liz Dean sobre o poder das palavras. A 25 de agosto, a Tinta-da-China vai publicar O Anjo Pornográfico: a biografia de Nelson Rodrigues, por Ruy Castro.

A 23 de agosto chega às livrarias Filosofar e meditar com as crianças, no qual o filósofo, sociólogo e professor Frédéric Lenoir relata a “a extraordinária aventura” que viveu “com centenas de crianças em todo o mundo francófono”. “Para quê esperar pelo final da aula para abordar temas existenciais: amor, respeito, felicidade, sentido da vida, emoções, etc.?”, refere o autor. “Estes workshops filosóficos mostraram-me a capacidade surpreendente de crianças de 6 a 10 anos para pensar.” A edição é da Arena.