Reino Unido

Banco de Inglaterra mantém juros e revê em baixa para 1,7% crescimento económico em 2017

O Banco de Inglaterra manteve as taxas de juro em 0,25%, com base nos mais recentes indicadores económicos do país, e reviu em baixa o crescimento em 2017 para 1,7%.

A inflação britânica está acima de 2%

ANDY RAIN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Banco de Inglaterra manteve esta quinta-feira as taxas de juro em 0,25%, com base nos mais recentes indicadores económicos do país, e reviu em baixa o crescimento em 2017 para 1,7%, foi anunciado.

Ao apresentar o relatório trimestral, o Banco de Inglaterra (Bank of England, BoE) revelou que a economia nacional continuará a ser “lenta” ao rever em baixa as estimativas de crescimento para 1,7% para 2017, contra 1,9% previsto em maio. Também reviu em baixa para 1,6% a estimativa de crescimento para 2018, contra a anterior previsão de 1,7%.

Os analistas já tinham antecipado que o BoE iria hoje manter as taxas de juro apesar de três dos oito membros da Comissão de Política Monetária (CMP) terem defendido uma subida das mesmas para 0,5% em junho.

Na última reunião, em contrapartida, a votação saldou-se por uma maioria de 6-2 a favor da manutenção das taxas de juro. “Nas previsões centrais da CMP, o Produto Interno Bruto (PIB) continua lento a curto prazo porque a pressão sobre os rendimentos reais das famílias continua apesar de maneira negativa sobre o consumo”, sublinha o documento hoje divulgado.

O BoE também alertou para a necessidade nos próximos meses de subir as taxas de juro e indicou que os custos do endividamento poderiam ter que ser aumentados mais do que o esperado pelos mercados financeiros.

Neste sentido, o relatório reitera que será necessário adotar “alguma restrição de política monetária” face à inflação, mas assegura ao mesmo tempo que qualquer subida das taxas será feita de “maneira gradual” e “limitada”.

Antes de ser conhecida em junho a taxa de inflação, que se situou em 2,6%, especulou-se que o BoE subiria as taxas de juro. A agência nacional de estatística britânica comunicou na altura que a taxa de inflação homóloga tinha desacelerado para 2,6% em junho, contra 2,9% em maio, na primeira descida desde outubro de 2016. Mas, apesar desta descida, a inflação britânica está acima de 2%, a percentagem que o BoE tem como objetivo para o Reino Unido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

O Brexit do nosso descontentamento

Ricardo Pinheiro Alves

A atitude da UE27 deveria ser mais magnânima, e por isso mais aberta à possível revisão da posição dos ingleses. O bom senso diria que seria bom deixar alguma escapatória para o Governo de Theresa May

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)