439kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Grupo anti-imigrantes norueguês confunde assentos de autocarro com burcas

Este artigo tem mais de 4 anos

Um jornalista norueguês quis testar a reação de um grupo anti-imigrantes e publicou uma fotografia de assentos de autocarros que se confundiam com pessoas a usar burcas. O resultado foi polémico.

i

sindrebeyer/Facebook

sindrebeyer/Facebook

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O jornalista norueguês Johan Slåttavik publicou uma fotografia de seis assentos de autocarro num grupo anti-imigrantes norueguês para observar as suas reações. É que, na imagem, os assentos pareciam seis pessoas a usar uma burca. Os membros do grupo teceram comentários racistas e a polémica instalou-se.

Slåttavik pôs a imagem no grupo do Facebook intitulado “Fatherland first” (“Pátria Primeiro” em português), que conta com 13 mil seguidores. Sindre Beyer, que tem vindo a seguir o grupo há algum tempo, partilhou alguns dos comentários que foram feitos por membros do grupo.

“Isto parece mesmo assustador. [A burca] devia ser banida. Nunca se sabe quem ali está. Pode ser um terrorista”, pode ler-se num dos comentários.

O jornalista revelou que procurou, para além de se divertir, chamar atenção para o facto de como “as pessoas em grupos podem responder a alguma coisa de forma diferente ao que responderiam de forma individual”, explicou ao jornal norueguês Nettavisen. “Espero que, ao mesmo tempo, seja possível que todos possam aprender com o incidente”, contou ainda o jornalista.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.