A J.D. Power, empresa especializada em estudos de mercado, inquiriu na Alemanha, já em 2017, mais de 14 mil proprietários, que conduzem os seus automóveis há mais de 12 meses e menos de 36. O estudo envolveu 71 modelos, de 24 fabricantes distintos e a Kia foi quem conseguiu a melhor pontuação, ao obter a média mais baixa de problemas registados pelos seus utilizadores.

Analisando 177 potenciais problemas, divididos por oito categorias, do motor e caixa de velocidades à ventilação, assentos, sistema de navegação e dispositivos multimédia, entre muitos outros, o estudo de fiabilidade da empresa americana ordena os veículos e os fabricantes consoante o número de problemas ou avarias detectados por cada 100 veículos (PP100), sistema em que vence quem tiver a média mais baixa.

Este ano, com uma média de 151 pontos entre os 24 construtores, a Kia foi a única a ficar abaixo dos 100 (atingiu 99), o que lhe permitiu liderar o ranking das marcas mais fiáveis. A seguir a esta marca sul-coreana classificou-se outro construtor oriundo do mesmo país, a Hyundai (105), ambas à frente dos japoneses Toyota (109) e Mitsubishi (113).

Entre os europeus, a Skoda (114) foi a melhor, surgindo na 5ª posição. Deixou para trás marcas como a Peugeot (125), Nissan (129), Opel (129), Honda (132), Ford (137), Seat (138), Renault (139) e Volkswagen (146), sendo estas as únicas a classificar-se abaixo da média da indústria (151).

Entre as marcas de luxo a Mercedes reuniu 158 pontos e foi a melhor, à frente da Audi (182) e da BMW (228). Veja aqui a classificação: