Um incêndio no concelho de Sardoal, no distrito de Santarém, mobilizava pelas 17h30 desta sexta-feira cerca de 200 operacionais. Uma das frentes está próxima da povoação de Cabeça das Mós. Combatem as chamas 358 bombeiros, apoiados por 105 veículos e 5 meios aéreos.

O incêndio deflagrou pelas 16h30, e “lavra com alguma intensidade (…) Há que dar tempo aos meios para avaliarem” a situação e darem conta, por exemplo, do número de frentes, confirmou a adjunta nacional de operações da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, ao Observador. “Estamos alerta, a única preocupação para já é, se for necessário, proteger as populações, neste caso Cabeça das Mós. Está um vento moderado e muito calor”, o que terá ajudado à propagação do incêndio, confirma.

[jwplatform t61eltqb]

A situação meteorológica não está a facilitar o combate: o vento forte está a possibilitar muitas projeções e as temperaturas altas, na ordem dos 36.º Celsius. Pela avaliação até já feita pela Proteção Civil, o incêndio tem duas frentes ativas.

O vento está a crescer em intensidade à medida que a noite chega e aponta no sentido de Mouriscas, já no concelho vizinho de Abrantes.

A Estrada Nacional 358, entre Cabeça das Mós e Mouriscas já foi cortada.

O concelho de Sardoal situa-se a alguns quilómetros do concelho de Mação, também já muito afetado pelos incêndios este ano. No ano passado, o Sardoal foi fustigado por um incêndio de grandes dimensões, e o presidente da autarquia, Miguel Borges, garante terem existido falhas no SIRESP: “Já falhou. Falhou o ano passado no Sardoal, falhou este ano, falhou esta semana e não há consequências políticas”.

(última atualização às 20h30)