Pedro Dias vai começar a ser julgado a 26 de setembro no Tribunal de Trancoso, avança o Correio da Manhã. Dias irá responder por crimes de homicídio e sequestro, cometidos em outubro do ano passado em Aguiar da Beira. Entre eles deverá constar o de Liliane Pinto. A acusação no caso da morte da mulher de 26 anos, que acabou por morrer no hospital depois de cinco meses em coma, foi a última a ser deduzida. A defesa do fugitivo de Aguiar da Beira já pediu para prescindir dos prazos instrução, para que todos os casos sejam julgados durante a mesma fase.

Ainda de acordo com o Correio da Manhã, a defesa de Dias irá tentar pedir o adiamento do início do julgamento. Os advogados Mónica Quintela e Rui Silva Leal irão argumentar que, na mesma altura, estarão a trabalhar no caso “Máfia de Braga”, relativo ao rapto e homicídio do empresário bracarense João Paulo Fernandes, cujo julgamento começa no início do setembro.

Pedro Dias entregou-se às autoridades a 8 de novembro de 2016, em Arouca, depois de quatro semanas em fuga. A detenção foi filmada pela RTP. Além de Liliane, Dias é ainda suspeito da morte do marido desta, Luís Pinto, e de um militar da GNR, Carlos Caetano. Em tribunal, irá ainda responder por três crimes de sequestro, crimes de roubo de automóveis, de armas da GNR e de quantias em dinheiro, bem como de detenção, uso e porte de armas proibidas.

O suspeito de 44 anos encontra-se a aguardar julgamento na cadeia de alta segurança do Monsanto, em Lisboa, para onde foi transferido a 12 de novembro.