A agência meteorológica do Japão ativou esta segunda-feira o alerta de fortes chuvas e eventuais inundações e deslizamentos de terras no oeste do arquipélago devido à passagem do tufão Noru, que deixou pelo menos dois mortos e 15 feridos. As autoridades recomendaram a retirada de 70 mil pessoas nas prefeituras de Kochi, Kagawa e Tokushima, situadas na ilha homónima de Tokushima (sudoeste), e advertiram mais de 200 mil para estarem preparadas para abandonar as suas casas a qualquer momento.

Às 10h00 (02h00 em Lisboa), o Noru, o quinto tufão da temporada 2017 no Pacífico, encontrava-se a sul da ilha, onde provocou precipitações de 52 milímetros por hora na localidade de Higashi Kagawa e de 33 milímetros por hora em Mie, de acordo com a emissora pública NHK.

O tufão move-se a uma velocidade de 20 quilómetros por hora em direção a nordeste, rumo à ilha de Honshu, a principal do arquipélago, onde se espera que toque terra esta segunda-feira pelas 15h00 (07h00 em Lisboa), segundo a agência meteorológica do Japão (JMA). O Noru transporta fortes ventos, com rajadas de até 162 quilómetros por hora, e precipitações que devem intensificar-se ainda mais nas próximas 24 horas.

O tufão obrigou ao cancelamento de pelo menos 228 voos e cortes em algumas estradas da prefeitura de Kagawa. Depois de duas semanas a ‘vaguear’ pelo oceano e após uma série de mudanças na trajetória, o Noru passou perto da ilha de Kyushu (sul) no domingo, deixando dois mortos nas vizinhas Osumi.

O Noru manifestou-se como depressão tropical em 20 de julho e foi evoluindo até se transformar num supertufão, acabando por perder gradualmente força durante as mudanças de trajetória.