O pelotão já se fartou de pedalar nesta Volta a Portugal, mas era a partir destes 152,7 quilómetros entre Macedo de Cavaleiros e a mítica subida da Senhora da Graça que iam arrancar a sério as decisões. Olhando numa perspetiva macro, continua tudo em aberto; analisando num ângulo mais micro, Raúl Alarcón, que reforçou a liderança com a segunda vitória na prova, está cada vez mais a assumir-se como principal referência da W52 FC Porto, ao passo que a ausência de Joni Brandão sentiu-se pela primeira vez de forma mais evidente no Sporting Tavira (que ainda assim está dentro da corrida e melhor do que ano passado).

A Rádio Popular começou a preparar bem a chegada, colocando Luís Gomes e Filipe Cardoso no grupo que passou na frente pelo Velão, e o segundo conseguiu mesmo isolar-se com Beñat Txoperena, antes de Hélder Ferreira, do Louletano-Hospital de Loulé lançar um derradeiro ataque a menos de dois quilómetros da meta. No entanto, a W52 voltou a tomar conta das ocorrências e lançou Raúl Alarcón e Amaro Antunes na frente, apenas com o italiano Rinaldo Nocentini na roda. Já Alejandro Marque acabou por ficar a marcar o adversário e amigo Gustavo Veloso, mantendo os 11 segundos de vantagem para o vencedor da Volta de 2014 e 2015.

A menos de um quilómetro, Alarcón disparou e cavou os três segundos de diferença com que terminaria a etapa, à frente do companheiro Amaro Antunes e do rival Rinaldo Nocentini. Mais uma vez, a W52 FC Porto teve mais equipa para preparar a chegada e ganhar. E é aqui que fica a dúvida – com Joni Brandão, quinto classificado na Volta do ano passado pela Efapel, seriam 3×3. Acabaria de forma distinta, tendo mais uma peça para este jogo tático?

Nunca se saberá. Por isso, o único caminho possível é o dos factos e aí Raúl Alarcón reforçou a vantagem na liderança da Volta a Portugal a bicicleta, passando a ter um avanço maior de Rinaldo Nocentini e Amaro Antunes (25 e 29 segundos). Alejandro Marque e Gustavo Veloso, outros dos favoritos, ficaram depois da Senhora da Graça a 35 e 46 segundos, respetivamente. Vicente de Mateos, do Louletano-Hospital de Loulé, é o único “extra” na classificação entre os seis primeiros classificados, com 43 segundos de desvantagem para Alarcón. João Benta (sétimo a 1.25m) e Henrique Casimiro (oitavo a 1.30m) são os melhores de Rádio Popular Boavista e Efapel, que tem ainda o reforço Sérgio Paulinho na décima posição, a 1,38m.

“Está a ser uma Volta muito importante para mim. Sempre sonhei um dia poder ganhar aqui na Senhora da Graça e conseguiu cumprir esse sonho. A minha equipa trabalhou sempre toda a etapa. Tínhamos planeado ganhar a etapa e conseguimos, ganhando ainda tempo aos rivais. Vitória final? Pode acontecer muita coisa, vamos ver… Estou a sentir-me bem mas temos de ir dia a dia, porque estou eu, o Gustavo e o Amaro nos dez primeiros”, destacou Raúl Alarcón no final da etapa aos microfones da RTP.

Confirma-se assim que Raúl Alarcón, que a W52 FC Porto foi contratar quando estava sem equipa após ter terminado a ligação à Saunier Duval (depois de ter passado ainda por Efapel e Louletano), está mesmo no ponto mais alto da carreira e que aquela vitória na Volta às Astúrias (onde superou o colombiano Nairo Quintana) não foi por acaso (venceu depois o GP Jornal de Notícias e ficou em segundo na Volta à Comunidade de Madrid).

O top-10 da classificação da quarta etapa da Volta a Portugal foi o seguinte:
1.º Raúl Alarcón (W52 FC Porto), 4.02.52
2.º Amaro Antunes (W52 FC Porto), a 3s
3.º Rinaldo Nocentini (Sporting Tavira), m.t.
4.º João Benta (RP Boavista), a 4s
5.º Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), m.t.
6.º Gustavo Veloso (W52 FC Porto), a 19s
7.º Alejandro Marque (Sporting Tavira), m.t.
8.º António Carvalho (W52 FC Porto), a 25s
9.º Henrique Casimiro (Efapel), m.t.
10.º Mikel Bizkarra (Murias), a 42s

Depois da quarta etapa, o top-10 da classificação geral da Volta a Portugal ficou assim ordenado:
1.º Raúl Alarcón (W52 FC Porto), 18.49.35
2.º Rinaldo Nocentini (Sporting Tavira), a 25s
3.º Amaro Antunes (W52 FC Porto), a 29s
4.º Alejandro Marque (Sporting Tavira), a 35s
5.º Vicente de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 43s
6.º Gustavo Veloso (W52 FC Porto), a 46s
7.º João Benta (RP Boavista), a 1.25m
8.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1.30m
9.º António Carvalho (W52 FC Porto), a 1.34m
10.º Sérgio Paulinho (Efapel), a 1.38m