Uma mulher portuguesa, de 74 anos, morreu na sequência do atentado de quinta-feira à tarde, nas Ramblas, em Barcelona. O Secretário de Estado das Comunidades confirmou ao Observador que a vítima nasceu em 1943, é natural de Lisboa, e estaria acompanhada de uma jovem de 20 anos, que está desaparecida e que a RTP identifica como sendo a neta. O governante afirmou que já contactou a família da vítima para prestar “sentidas condolências”.

A avó e neta teriam chegado a Barcelona cerca de cinco horas antes de a uma carrinha ter atropelado dezenas de pessoas na turística zona das Ramblas, de acordo com a informação que está a ser avançada pela RTP. Os familiares falaram com elas pela última vez antes das 16h00, quando se dirigiam para o hotel, situado na mesma zona. Até ao momento, não há mais registos de portugueses entre as vítimas, mas o processo de identificação das vítimas ainda prossegue.

O primeiro-ministro lamentou a morte da portuguesa de 74 anos, assegurando que estão a ser desenvolvidos “esforços para poder localizar a familiar da vítima”. António Costa não exclui a hipótese de “haver outros portugueses” entre as vítimas, disse aos jornalistas esta manhã, na residência oficial em São Bento.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que também está a acompanhar este “momento de dor”, mas rejeita aumentar nível de alerta em Portugal. O Presidente da República manifestou as suas “sentidas condolências” pela morte da portuguesa. “O governo português tudo fez para proporcionar à família os elementos disponíveis para este momento de dor, mas eu não queria deixar de exprimir desde já essa dor, esse pesar,”, disse em declarações à RTP. No site da Presidência, Marcelo publicou uma nota:

“Perante a confirmação da existência de pelo menos uma vítima portuguesa no ignóbil atentado de Barcelona, o Presidente da República manifesta o seu apoio à família neste momento difícil, apresentando as suas sentidas condolências. O Chefe de Estado, que ontem contactou o Rei de Espanha, mais uma vez condena com veemência o ato terrorista desta quinta-feira e manifestou a solidariedade portuguesa a todas as vítimas”, lê-se.

A Polícia já confirmou que entre os 14 mortos e os cerca de 130 feridos há pelos menos 35 nacionalidades diferentes. Além da portuguesa, há duas vítimas mortais identificadas: uma mulher belga e um homem espanhol. A a Direção Geral de Proteção Civil do governo da Catalunha divulgou a lista das nacionalidades, onde ainda não consta a portuguesa:

*Em atualização