A Marinha norte-americana ordenou esta segunda-feira uma investigação profunda ao desempenho e prontidão da 7.ª Frota do Pacífico, após uma colisão entre o contratorpedeiro USS John S. McCain e um petroleiro, disse o secretário da Defesa.

Dez marinheiros estão desaparecidos e cinco ficaram feridos na sequência da colisão às 5h24 (22h24 de domingo em Lisboa), a leste de Singapura. Tratou-se da segunda maior colisão nos últimos dois meses envolvendo a 7.ª Frota do Pacífico norte-americana. Em junho, sete marinheiros morreram quando o USS Fitzgerald chocou com um porta-contentores em águas do Japão.

O secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, disse que o almirante John Richardson, que comanda as operações navais, vai pedir a suspensão das operações e a investigação ao modo como a Marinha treina e certifica as suas forças que operam em torno do Japão. “Ele organizou uma investigação profunda para analisar estes dois incidentes (as duas colisões)”, declarou Mattis aos jornalistas em Amã, na Jordânia.

Embarcações e aeronaves dos Estados Unidos, Indonésia, Singapura e Malásia procuram os marinheiros desaparecidos esta segunda-feira. Os feridos foram transportados para hospitais de Singapura. De acordo com o governo de Singapura, nenhum dos membros da tripulação do petroleiro Alnic, com bandeira da Libéria, ficou ferido.