O ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, defendeu esta segunda-feira que 2016 foi “claramente um ano de mudança, em que começou um novo ciclo de crescimento” no setor da investigação e inovação.

“Mas é preciso continuar (…). Temos que começar a garantir, de forma sistemática, um aumento da despesa pública [das instituições de ensino superior] a ritmos consideráveis”, sustentou, reiterando que, sem o aumento na despesa pública, não é possível estimular o crescimento da despesa privada (das empresas).

Manuel Heitor comentava, em declarações à Lusa, os dados divulgados esta segunda-feira pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, segundo os quais a despesa em investigação e desenvolvimento cresceu, em 2016, mais 113,3 milhões de euros, para 2.347,7 milhões de euros, face a 2015, representando 1,27% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.