Rádio Observador

Segurança

9 dicas. Para a segurança da grávida e do bebé

153

Sabia que, quando utilizado adequadamente, o cinto de segurança reduz em mais de 50% o risco de lesão fetal? E sabe a que distância deve ter a barriga do volante? Nove meses, nove dicas de segurança.

O cinto de segurança pode infligir algum dano a uma grávida? Recomenda-se conduzir ou é contra-indicado? A pensar nas mulheres que carregam dentro de si uma nova vida e que se vêem assaltadas por este tipo de dúvidas, sobretudo quando têm pela frente muitos quilómetros de estrada no regresso a casa, após o período de férias, a Seat decidiu dar o seu contributo, para esclarecer matérias relacionadas com a segurança automóvel. E fá-lo sob a forma de nove recomendações, sublinhando que se dirigem às mulheres a quem o respectivo médico não desaconselha que assumam o volante. Porém, para fazê-lo, garantindo a segurança de mãe e bebé, há que adoptar comportamentos específicos ao longo destes nove meses.

Cinto de segurança? Sempre!

“Na zona ventral, deve-se colocar o cinto de segurança o mais baixo possível, a fim de reter a mãe pela pélvis e, assim, evitar exercer força sobre o feto. A banda diagonal deve descrever uma linha entre a clavícula (onde se apoia) e o abdómen, passando entre os seios”, explica o responsável pelo departamento de Desenvolvimento da Segurança no Veículo da Seat, Javier Luzón.

Para ter uma ideia, de acordo com os últimos estudos, metade das possíveis lesões fetais em caso de acidente poderiam evitar-se, colocando adequadamente o cinto de segurança. Sem este dispositivo, alerta por seu turno Emmanuel de Sostoa, ginecologista no novo Centro de Saúde e Reabilitação da Seat, localizado em Martorell, o impacto directo no volante “pode ocasionar graves riscos, nomeadamente o despreendimento da placenta ou a ruptura uterina”.

Volante a 25 centímetros

Aumentar a distância entre o banco da condutora grávida e o volante contribui para evitar eventuais lesões em caso de embate, designadamente minimizando o impacto entre a zona inferior do volante e a barriga da mulher.

Airbag sempre ligado

Seja a conduzir, seja como passageira, os especialistas recomendam que a grávida se certifique que segue viagem com o airbag activo.

Mês a mês, há que adaptar a posição do banco

Conduzir no primeiro trimestre de gestação não tem nada a ver com fazê-lo no último, por exemplo. Daí que, à medida que vai passando o tempo e a barriga vai crescendo, seja conveniente ir regulando a posição do assento, tendo presente que as costas do banco devem estar o mais direitas possível, como que descrevendo um ângulo recto.

Acessórios para maximizar o conforto

Sobretudo num estado avançado da gravidez, algumas mulheres optam por usar um cinto de suporte da barriga. Embora não obrigatório, este complemento pode tornar mais confortáveis as viagens.

Essenciais também

Roupa cómoda e sapatos rasos são o dress code recomendado para qualquer grávida que opte por assumir o volante. Não só por proporcionarem uma maior liberdade de movimentos, como garante de que os imprevistos são minimizados. Afinal, uns saltos altos podem resultar numa melhor imagem, mas nem sempre são amigos da condução segura.

Manter a distância de segurança

Relaxe! Nada de andar “colada” ao carro da frente. Sobretudo na altura da gestação, é aconselhável aumentar a distância de segurança em relação ao veículo que nos precede, para minimizar a ocorrência de manobras bruscas ou sacudidelas. Mas também não facilite em demasia, deixando uma distância anormalmente grande, pois isso é um convite a que outros veículos se coloquem à sua frente, provocando as tais travagens súbitas que tenta evitar.

Paragens frequentes

As deslocações longas são de evitar mas, quando não há alternativa, convém “ouvir” o organismo. Está familiarizada com aquela fome insaciável e a vontade constante de ir à casa de banho? Isso significa que as paragens frequentes não só são recomendadas, como constituem uma excelente oportunidade para andar e, assim, activar a circulação.

Deixar de conduzir, quando?

Não há uma altura específica para largar o volante, no caso de uma gravidez saudável. O ginecologista Emmanuel de Sostoa considera que o que deve prevalecer nesta decisão é o “senso comum”, ou seja, a grávida deve deixar de conduzir quando deixar de se sentir confortável ao fazê-lo. Daí que seja relativamente comum que as mulheres deixem de guiar no último mês da gravidez.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)