Música

“Estou sozinha”. Confissões de Lady Gaga num novo documentário que estreia em setembro

"Gaga: Five Foot Two" mostra o último ano da cantora, das performances em palco aos desabafos pessoais. O documentário estreia-se em setembro, no Netflix, mas antes passa pelo festival de Toronto.

"Gaga: Five Foot Two" estreia em setembro e revela sobretudo o lado pessoal do dia-a-dia da cantora

AFP/Getty Images

“Mas eu… estou sozinha, Brandon. Todas estas pessoas vão embora, certo? Vão embora e aí vou ficar sozinha. Vou deixar de ter toda a gente a tocar-me e a falar comigo o dia inteiro para ficar num silêncio total”.

A conversa de Lady Gaga com o designer de moda Brandon Maxwell é um dos excertos do novo documentário já partilhados pela cantora na sua conta de Instagram. Gaga: Five Foot Two estreia a 22 de setembro no Netflix e acompanha um ano da vida da cantora.

O novo álbum, Joanne, lançado em Outubro do ano passado, a performance no intervalo do Super Bowl e a entrada de última hora no cartaz do Coachella, em substituição da duplamente grávida Beyoncé, são alguns dos momentos que marcaram a carreira de Lady Gaga no último ano. Mas a fita não mostra apenas o lado profissional da vida da cantora de 31 anos. Do fim da relação com o ator Taylor Kinney, de quem estava noiva, a meros procedimentos clínicos, o documentário mostra fragmentos do dia-a-dia de Gaga.

#GagaFiveFootTwo

A post shared by xoxo, Gaga (@ladygaga) on

Gaga: Five Foot Two, realizado por Chris Moukarbel, estreia no dia 22 de setembro, no Netflix, mas antes disso, passa pelas salas do Toronto International Film Festival. No Instagram, a cantora admitiu não ter visto o documentário por inteiro e disse ainda que será o público a vê-lo primeiro. Veremos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Arquitetura

Um museu dos “portugueses eram mesmo maus"?

José Manuel Fernandes Arq.

Reivindico o direito que temos à essência do nosso país, a assumir do seu contributo para o Mundo ao longo dos últimos 600 anos de expansão e colonização. Sem isso pouco Portugal teria dado ao planeta

Museus

Descobertas e má consciência /premium

Paulo Tunhas

O que a conversa contemporânea sobre a palavra “descobertas” faz é omitir os diferentes sentidos da palavra. Tal como para as celebrações de Salazar, é o aspecto político o único que realmente conta.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)