Faz parte daqueles condutores que desespera com os constantes alertas dados pelo seu carro enquanto conduz, chegando ao ponto de desligar a maior parte dos sistemas de ajuda à condução? Pois saiba que, só no caso do sistema de alerta de transposição involuntária da faixa de rodagem, um estudo levado a cabo pelo organismo norte-americano Insurance Institute for Highway Safety concluiu que se todos os automóveis ligeiros de passageiros nos EUA fossem equipados com esse sistema, aproximadamente 85 mil acidentes e mais de 55 mil feridos teriam sido evitados em 2015 – ano que serve de base de trabalho para o estudo. Convencido?

Partindo de dados de acidentes reportados pelas autoridades, os investigadores chegaram à conclusão que esta tecnologia – relativamente acessível e simples, que reduz a probabilidade de um condutor invadir a faixa de rodagem do lado, ou embater de frente num outro veículo – contribui para reduzir todos os tipos de acidentes rodoviários em cerca de 11%, reduzir possíveis ferimentos em 21% e diminuir as mortes por acidente em cerca de 86%.

No entanto, um outro estudo relacionado com este mesmo tema revela que quase metade dos condutores prefere desligar os sistemas de assistência, por considerá-los irritantes nos constantes avisos que fazem. Dos 983 carros de nove diferentes marcas analisados durante a sua passagem pelos respectivos concessionários, apenas 51% mantinham estas tecnologias activas.

Igualmente interessante é o facto de os sistemas de alerta com barulhos mais irritantes serem os que mais rapidamente são desligados, nomeadamente quando comparados com os que alertam apenas e só através de vibrações no volante ou no banco. Sendo que o instituto norte-americano também destaca o facto de este tipo de sistemas ser muito fácil de desligar. O que já levou fabricantes como a Volvo a retirarem o tradicional botão de desligar da área de acção do condutor e a remeterem essa opção para o sistema de infoentretenimento, obrigando assim a ultrapassar uma série de menus para conseguir desactivar este sistema de segurança. Estratagema que, de acordo com o mesmo organismo, fez com que na Volvo sejam bem mais os condutores que acabam por não desligar a tecnologia – 86%.