Pais e Filhos

Adormece o seu bebé na posição mais adequada?

Um estudo da American Academy of Pediatrics entrevistou mais de 3.000 mães de 32 hospitais dos EUA, para perceber como deitam as crianças. E descobriram que nem sempre o fazem bem.

Os autores do estudo garantem que falar sobre o sono infantil com os restantes familiares e amigos pode ajudar a começar a pôr em prática bons hábitos

Paulo Cunha/LUSA

Deitar um bebé na posição que pensa ser correta para dormir pode, na verdade, não ser a melhor ou a que melhor o protege durante o sono – e um estudo publicado esta semana na revista Pediatrics conclui isso mesmo: muitos pais não sabem ou não seguem as recomendações para deitar o bebé de forma adequada.

Colocar o bebé de barriga para cima antes de dormir é uma das posições aconselhadas, dado que reduz o risco de morte súbita infantil, bem como outras condições relacionadas com o sono, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano.

Ainda assim, a percentagem de mães que tem este hábito é alta: mais de 77%. O problema é que muitos pais, mesmo sabendo da recomendação, nem sempre o fazem e acabam por adotar outras posições para o sono dos seus bebés. As razões para isso dividem-se entre a interferência de médicos e outros membros da família ou a sensação de que a criança poderá sufocar se adormecer naquela posição. Algo que, de acordo com os investigadores, é um equívoco.

O estudo da American Academy of Pediatrics, publicado esta semana, entrevistou 3.297 mães de 32 hospitais dos EUA, para saber como estas agiam no momento de deitar as crianças. Os autores do estudo garantem que falar sobre o sono infantil com os restantes familiares e amigos pode ajudar a começar a pôr em prática bons hábitos, reforçando a importância de comunicar com profissionais de saúde.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Pais e Filhos

O grito de otimismo de Berry Brazelton

João Gomes-Pedro

Para os pais, descobrir o seu bebé é, certamente, o maior desafio de toda a sua vida. João Gomes-Pedro escreve sobre o legado de Berry Brazelton: um grito de otimismo pelos bebés e pelas famílias.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)