“Desierto florido”, é o nome que os chilenos e turistas dão ao fenómeno que ocorre exclusivamente no deserto do Atacama, o local mais árido do planeta (excluindo os pólos) e onde geralmente caem menos de 12 milímetros de chuva por ano.

Este fenómeno ocorre quando grandes quantidades de chuva repentina penetram no solo seco do deserto e despertam as sementes de mais de 200 espécies de plantas, que ficam anos em estado de dormência. O que se segue é a proliferação da vida: insetos, pássaros e algumas espécies de lagartos. Mas o bom dura pouco – brevemente, as dunas secas voltarão a ocupar a paisagem.

O acontecimento raro está quase sempre associado ao fenómeno climático “El Niño”, uma variação irregularmente periódica dos ventos e das temperaturas da superfície do Oceano Pacífico e que afeta grande parte dos trópicos e sub-trópicos. O “El Niño” é imprevisível e responsável por um grande número de inundações – associadas a chuvas torrenciais repentinas – e secas extremas e severas, com consequências negativas na agricultura e produção animal das zonas afetadas sempre estimadas nos milhares de milhões de dólares. Ainda assim, ocorre geralmente com intervalos de 5 a 7 anos.

Sempre que o El Niño ocorre e carrega nuvens densas e carregadas para o deserto do Atacama, a vida desperta num dos locais mais hostis do mundo.

Este ano o fenómeno deu-se mais cedo e as dunas já foram substituídas por flores, veja na fotogaleria em cima.