O Governo autorizou a abertura de 200 vagas para assistente graduado sénior, o topo da carreira médica, o que permite aumentar a capacidade formativa nos hospitais.

Um despacho publicado esta sexta-feira em Diário da República vem autorizar a “abertura de procedimentos de recrutamento conducentes ao preenchimento de 200 postos de trabalho” que correspondam à categoria de assistente graduado sénior. A abertura dos procedimentos deve ocorrer no prazo máximo de dois meses.

Os sindicatos médicos têm reclamado a falta de assistentes graduados seniores, considerando que é necessário reforçar os profissionais mais diferenciados. Segundo dados do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), só entre 2005 e 2016 saíram em aposentação quase 1.500 graduados seniores e só perto de 250 foram repostos. O sindicato tem dito que eram necessários, de forma urgente, pelo menos mais 200.

O secretário-geral do SIM, Roque da Cunha reconheceu esta sexta-feira à agência Lusa que este despacho dos ministérios das Finanças e da Saúde é positivo, lembrando que os assistentes graduados seniores permitem o aumento da capacidade formativa das unidades hospitalares e o reforço de internos.