O Centro de Operações da Proteção Civil (COPC) de Macau respondeu até esta tarde de sexta-feira a 640 ocorrências, na sequência da passagem, na quarta-feira, do tufão Hato, que causou dez mortos e mais de 200 feridos.

O coordenador do COPC, Ma Io Kun, falava numa conferência de imprensa sobre o balanço dos trabalhos de limpeza e recuperação do território, atingido pela tempestade tropical, a pior nos últimos 50 anos.

Das 640 ocorrências, 74 são casos de danos em edifícios e quedas de objetos, 161 são quedas de anúncios e andaimes, 127 são quedas de fios de antenas e 75 são casos de pessoas presas em elevadores”, afirmou.

O responsável disse que “a maioria das zonas já tem água, embora nas áreas mais elevadas se possa registar por enquanto um fornecimento deficiente, devido a problemas de pressão”. O fornecimento de água foi interrompido na quarta-feira, e a Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau (SAAM) indicou já que a situação só deverá ficar normalizada “dentro de um ou dois dias”.

Em relação à eletricidade, cujo fornecimento também foi interrompido na quarta-feira, “3,7 mil residências continuam afetadas”, sobretudo na zona norte de Macau, acrescentou. Esta noite (tarde em Lisboa), 14 postos de transformação em Macau estavam ainda em reparação e 2,4 mil utentes continuavam sem fornecimento de eletricidade. O tufão Hato danificou mais de 200 dos 1,5 mil postos de transformação existentes no território, indicaram as autoridades.

Operações de limpeza ainda continuam. 80% das vias públicas já estão a funcionar

Na conferência de imprensa, onde estavam vários representantes das forças de segurança e de departamentos públicos de Macau, Ma Io Kun destacou o apoio de um milhar de soldados da Guarnição em Macau do Exército de Libertação Popular chinês nos trabalhos de limpeza, que vão continuar, na zona da Praia do Manduco, no norte de Macau e nas ilhas.

Fotogaleria. Tufão Hato deixa rasto de destruição em Macau

O comandante do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), Leong Man Cheong, afirmou que “80% das vias públicas do território” estão a funcionar normalmente. O responsável indicou que o serviço de helicópteros e o de transportes marítimos para a China ainda não foram retomados. Por seu lado, Leong Iok Sam, comandante do Corpo de Bombeiros, afirmou que vão prosseguir os trabalhos de drenagem e buscas nos parques de estacionamento de vários edifícios na zona norte de Macau, onde foram até agora encontradas várias vítimas mortais do Hato.

Lei Vai Nong, do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), destacou terem sido removidas, até agora, cerca de 1, 5 mil toneladas de lixo e efetuados 3,5 mil cortes de árvores. O IACM destacou 1,2 mil trabalhadores e 80 veículos, incluindo pesados, para as operações de limpeza e também mobilizou dois camiões-cisternas para distribuir água aos residentes. “Esta noite vão chegar mais recursos materiais para continuar as operações de limpeza e vão ser distribuídos sacos de lixo às lojas para facilitar a recolha de detritos”, acrescentou.