Canoagem

Nos mundiais de canoagem, Portugal vence final B de K4 500 e termina no ‘top-10’

166

Portugal venceu a final B de K4 500 feminino dos Mundiais de canoagem, que decorrem na República Checa, classificando-se no 10.º lugar final, enquanto o quarteto masculino fechou em 17.º.

Tamas Kovacs/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Portugal venceu hoje a final B de K4 500 feminino dos Mundiais de canoagem, que decorrem em Racice, da República Checa, classificando-se no 10.º lugar final, enquanto o quarteto masculino fechou em 17.º.

Joana Vasconcelos, Francisca Laia, Teresa Portela e Márcia Aldeias impuseram-se em 1.35,130 minutos, batendo o Canadá por 1,100 segundos e a Rússia por 1,650.

Depois do nono lugar nos Europeus — na altura com Maria Cabrita no lugar de Márcia Aldeias — as pupilas de Ryszard Hoppe provaram que bem poderiam estar a disputar a regata decisiva.

Na final B masculina, Emanuel Silva, João Ribeiro, David Fernandes e David Varela ainda passaram em quinto a meio da prova, mas acabaram por cair alguns lugares, terminando no oitavo lugar, em 1.22,210 minutos, a 1,472 dos vencedores, do Canadá. Nas contas final, a tripulação lusa foi 17.ª classificada.

Sábado, a presença na final A ficou 50 milésimos de segundos, rude golpe no moral da tripulação composta por atletas com medalhas em Jogos Olímpicos, Europeus e Mundiais.

Este é o mais discreto desempenho do K4 nos últimos anos, embora esta seja uma nova distância (passou dos 1.000 para os 500) e a tripulação tenha sido refeita, com a saída de Fernando Pimenta e a entrada de David Varela.

Nos Europeus, tinham conquistado um promissor sexto lugar, na sua estreia internacional a ‘doer’.

Ainda na manhã de hoje, já depois destas provas, Teresa Portela foi nona na final do K1 200. À tarde, Fernando Pimenta vai tentar conquistar uma nova medalha, nos 5.000 metros, depois de se ter tornado vice-campeão do Mundo em K1 1.000, no sábado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filhos

Guarda conjunta em residência alternada /premium

Eduardo Sá

A recomendação de ser “regra” o regime de guarda conjunta com residência alternada, se mal gerida, pode trazer a muitas crianças uma regulação da responsabilidade parental mais populista do que justa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)