Parte do desafio assumido pelo actual presidente da companhia, Akio Toyoda, de construir automóveis cada vez melhores, a Toyota criou, em 2014, um projecto de investigação e desenvolvimento a sete anos, de âmbito mundial, denominado Five Continents Drive. Cujo objectivo passa por submeter todos os veículos da marca àquele que será o derradeiro teste, a realizar nos cincos continentes. Depois de já ter passado pela Austrália e Américas, o projecto chega agora à Europa, partindo nada mais, nada menos que das instalações da Salvador Caetano, em Portugal.

A fábrica da Salvador Caetano em Portugal é um lugar simbólico para o arranque oficial deste projecto revolucionário na Europa, já que foi ali que se fabricaram os primeiros veículos Toyota para o mercado europeu, há 46 anos”, explicou o presidente e CEO da Toyota Motor Europe, Johan Van Zyl.

Iniciado há cerca de três anos, o programa Five Continents Drive visa, segundo o fabricante nipónico, criar veículos melhores, mais limpos e mais seguros. Objectivo que a Toyota espera alcançar através de uma série de testes realizados nos ambientes mais difíceis que é possível experimentar em todos os continentes, mas também em locais absolutamente desconhecidos. Partindo sempre de algumas das mais importantes instalações que a marca tem espalhadas pelo mundo.

Depois de ter começado, ainda em 2014, na Austrália, seguindo-se-lhe a América do Norte, em 2015, e a América Latina, em 2016, num total de mais de 70.000 km cumpridos, chega agora o momento do programa entrar na Europa. Onde, depois dos bons resultados obtidos nos continentes já percorridos, a marca japonesa espera alcançar metas idênticas naquele que é, segundo Johan Van Zyl, “um dos mercados automóveis mais exigentes e competitivos”.

No Velho Continente, os Toyota e Lexus envolvidos no projecto começarão por percorrer, durante as próximas oito semanas e aproveitando as estradas do Sul e Oeste da Europa, os 13.000 km que separam a fábrica da Salvador Caetano, em Portugal, das instalações da Toyota Motor Europe, em Bruxelas. Sendo que, já com o Inverno instalado, uma segunda expedição de quatro semanas seguirá para Norte e Leste, num total de 6.000 km, ligando Copenhaga, na Dinamarca, à sede da equipa oficial da marca no Mundial de Ralis, a Toyota GAZOO Racing, em Puppola, na Finlândia.

Cumprido o ciclo europeu, o programa ruma a África, e depois para a Ásia, onde terminará em 2020, no Japão. Precisamente o ano em que o país acolhe os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, eventos de que a Toyota é um dos parceiros oficiais e aos quais disponibilizará formas de mobilidade sustentável.