Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, foi esta sexta-feira castigado com mais três meses de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, por declarações escritas no Facebook a propósito do número de Campeonatos Nacionais conquistados pelo clube.

De acordo com o órgão federativo, o líder dos verde e brancos infringiu o regulamento “das ameaças e ofensas à honra, consideração e dignidade”, tendo ainda de pagar uma multa de 510 euros.

Mas afinal o que disse Bruno de Carvalho? Recuando quase nove meses, o presidente leonino, em resposta à atualização dos títulos por parte da Federação, escreveu a 16 de dezembro de 2017 que tal atitude demonstrava “a incompetência e a cobardia dos seus dirigentes, que defendem tudo menos a verdade desportiva e o futebol”.

Bruno de Carvalho suspenso seis meses na sequência do caso do túnel

“O ano de 2016 é, depois do Apito Dourado, o período mais negro do futebol português e os seus atuais dirigentes máximos são os grandes responsáveis. O tempo dos portugueses corajosos, inteligentes, justos e responsáveis já lá vai. Agora esses são só os cidadãos comuns, tendo ficado o dirigismo máximo desportivo entregue ao oposto, o que muito nos deve entristecer e envergonhar. Se acham que estas atitudes ficam sem resposta estão muito enganados, pois a verdade vem sempre ao de cima, mesmo que seja necessário escavar no esgoto até lá chegar. Somos 3,5 milhões de sportinguistas, que amam uma instituição centenária, que merecem e exigem respeito”, acrescentou.

Nesse mesmo dia, também o Sporting colocou um comunicado no seu site oficial “carregando” sobre a Federação depois desta ter assumido que os leões tinham 18 Campeonatos Nacionais e não 22, como alega. “A Federação prestou-se uma vez mais a um exercício de absoluta subserviência e cedência aos mitos que, ao longo de vários anos, se foram construindo sobre o futebol português, contrariando em absoluto aquilo que são os princípios mais elementares do respeito pela verdade desportiva”, argumentou, antes de explicar o porquê dos 22 títulos nacionais.

“Ao integrar na Taça de Portugal os títulos conquistados entre 1921 e 1938 no então Campeonato de Portugal, a FPF trilha um caminho de revisionismo histórico desrespeitando aquela que era a interpretação generalizada e plasmada em toda a imprensa da época que afirmava, sem hesitações, que era esta a competição que apurava, a cada ano, o Campeão Nacional. E contrariando os factos assumidos pela própria Federação Portuguesa de Futebol que, no seu site na internet, escreve o seguinte: ‘Em 1922 foi criado o primeiro campeonato de futebol organizado pela UPF. Os vencedores desta competição eram considerados os campeões da modalidade em Portugal'”, completou.

Conselho de Disciplina suspende Bruno de Carvalho por 113 dias

Acrescente-se que, no caso de Bruno de Carvalho, este é já o terceiro grande castigo num lapso de seis meses: foi sancionado com 113 dias de suspensão em março, por três infrações de lesão da honra e reputação; mais recentemente, a meio de agosto, com seis meses no seguimento do caso do túnel de Alvalade; e, agora, mais três meses por “ameaças e ofensas à honra, consideração e dignidade”.