A nona edição do Azores Airlines Pro, prova de qualificação ao mundial de surf, arranca na terça-feira na Praia de Santa Bárbara, na Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, com 144 inscritos de 17 nacionalidades.

Vasco Ribeiro, o melhor português no circuito de qualificação para o mundial da modalidade, e Jácome Correia estão diretamente apurados para a segunda ronda, sendo que fazem parte do grupo de seis portugueses que estarão presentes na prova açoriana.

“Um bom resultado, seria pelo menos os quartos de final, antes disso não é propriamente um bom resultado e portanto vou tentar dar o meu melhor, eu gosto muito de estar aqui nos Açores, é um sitio que me sinto bem as ondas são ótimas, é mesmo muito bom e portanto é fazer o que tenho vindo a fazer e esperar que as coisas corram bem”, disse Vasco Ribeiro à margem de uma conferência de imprensa que decorreu esta tarde no Santa Bárbara Eco-Beach Resort.

Além de Vasco Ribeiro, também o açoriano Jácome Correia marcou presença na apresentação do Azores Airlines Pro 2017, etapa do circuito mundial de surf masculino da World Surf League, onde participa pela quarta vez.

O ano passado sinto que foi a minha melhor prestação aqui neste campeonato e este ano gostava de fazer melhor, o ano passado estive quase a passar um heat (eliminatória) este ano queria mesmo passar um heat pelo menos e mostrar o meu surf. Tenho trabalho o ano todo e quero mostrar o que tenho feito”, admitiu Jácome Correia.

A prova açoriana de qualificação ao mundial de surf regressa este ano à Praia de Santa Bárbara, depois de no ano passado ter decorrido na Praia do Monte Verde, também na Ribeira Grande, sendo que este ano esteve interdita a banhos devido à má qualidade da água.

“O facto de este ano o evento se localizar neste espaço tem a ver, como foi público, com a contaminação das águas nas zonas do Monte Verde. Um problema que foi identificado e que, segundo as últimas análises, já está ultrapassado, mas por precaução quisemos que viesse para esta praia”, disse o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande aos jornalistas.

Alexandre Gaudêncio assegurou ainda que no concelho nortenho da ilha de São Miguel é fácil “deslocalizar o evento”, tendo em conta que a Ribeira Grande é conhecida por ter praias com um grande “potencial ao nível de ondas”, assegurando que já existe o registo “oficial” da “marca” “Ribeira Grande- Capital do Surf”.

O diretor regional do turismo destacou o impacto que a prova de surf tem para promover os Açores a nível nacional e internacional.

Estão garantidos os argumentos para sete dias de pura magia e emoções fortes nas ondas da praia de Santa Bárbara arriscando-me a prever desde já o maior sucesso desportivo e assim a pretendida promoção da prova a nível nacional, internacional com os respetivos ganhos de notoriedade para o destino Açores que justificam o apoio concedido pelo Governo Regional dos Açores”, disse.

A nona edição do Azores Ailines Pro arranca esta terça-feira e termina no próximo domingo e conta com a inscrição de 144 atletas de 17 nacionalidades destacando-se a presença sobretudo de surfistas americanos, brasileiros, australianos, franceses e espanhóis.