As cheias que assolaram o Texas a 25 de Agosto e que ainda continuam a martirizar as populações daquele estado americano, provocaram dezenas de mortos e prejuízos a milhões de habitantes. Mas o furacão Harvey permitiu, como sempre acontece sempre perante desastres naturais, fazer sobressair o que de melhor há entre as pessoas, dispostas por vezes arriscar a própria vida para salvar os que estão a braços com dificuldades superiores à suas.

O Estado proporcionou os habituais meios de salvação aos habitantes das zonas mais fustigadas pela tempestade, mas o que mais impressionou foram os muitos particulares que não hesitaram em sacrificar-se em benefício dos seus vizinhos e amigos e, muitas vezes, até mesmo de pessoas que desconheciam por completo.

No processo, todos os meios de transporte foram utilizados, mas sempre que a acumulação de água era maior nem os camiões conseguiam lidar com os rios que passaram a alagar estradas, ruas e parques. Apenas de barco era possível deslocar-se de um lado para o outro. De barco, e de monster truck, aqueles jipes com rodas enormes e suspensões elevadas, que colocam a cabine a mais de um metro do solo, que são adorados por alguns – muito poucos –, mas criticados com desdém pela maioria.

Porém, desta vez, para fazer face ao Harvey, os monster trucks demonstraram que, além de serem exímios nos saltos e a passar pelo mau piso como se fosse uma auto-estrada recém-asfaltada, conseguem estar particularmente à vontade em zonas alagadas, passando em locais com mais de 1,5 metros de altura de água, onde nem os camiões militares conseguiam circular.

Os utilizadores destes verdadeiros monstros sobre rodas juntaram-se em grupos de intervenção e socorreram pessoas presas em casas quase submersas, rebocaram para zonas não inundadas veículos que ameaçavam ficar debaixo de água e até deram uma ajuda às forças policiais, cujos veículos não conseguiam lidar com o excesso de água.

[jwplatform 5MiuAAao]