Pelo terceiro ano consecutivo, há mais alunos a procurarem instituições de ensino superior privadas. Nas universidades contactadas pelo Jornal de Notícias, o aumento da procura variou entre os 10 e os 36% na primeira fase de acesso.

“A tendência na maioria das instituições é de algum crescimento nas candidaturas”, confirmou ao jornal o presidente da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado, João Redondo, lembrando que desde 2015/2016 “tem havido sempre alguma recuperação”. No caso das instituições que preside (as três universidades Lusíada, da Fundação Minerva) o aumento ronda os 20%.

Já a Universidade Católica registou uma subida de 13%. De todas as instituições contactadas pelo JN aquela que diz ter registado um maior aumento foi mesmo a Lusófona do Porto: mais 36% do que no ano anterior.

Sendo certo que há mais alunos interessados, será preciso aguardar mais uns dias para perceber se isso se refletirá num aumento de matrículas.

Também no que diz respeito às universidades e politécnicos públicos houve um aumento do número de candidatos na primeira fase de acesso: 52.579, mais 2.924 do que há um ano.

Ensino Superior. Pela primeira vez desde 2009 há mais candidatos do que vagas na 1ª fase

E pela primeira vez desde 2009 o número de candidatos ao ensino superior na 1ª fase de acesso superou o número de vagas, com 52.579 proponentes para 50.838 vagas nas universidades e politécnicos públicos, segundo dados da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).