Saúde Pública

Ovos comprados por empresa portuguesa foram servidos só na Bélgica

Os 180 ovos potencialmente contaminados que puseram Portugal na lista de países afetados pelo fipronil foram comprados e consumidos na Bélgica, na cantina da empresa portuguesa a operar naquele país.

Os ovos potencialmente contaminados são brancos, os comercializados em Portugal são castanhos

MARIO CALDEIRA/LUSA

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária já tinha garantido que os ovos comprados por um empresário português na Bélgica nunca chegaram ao país, que só faz parte da lista de Estados-membros da UE afetados pelo caso da contaminação com o pesticida tóxico fipronil por causa da nacionalidade do comprador. Agora sabe-se porquê: os 180 ovos de casca branca potencialmente perigosos foram comprados por uma empresa de construção civil registada em Portugal mas a operar naquele país, e terão sido totalmente consumidos na cantina naquele país.

“Segundo a informação reportada, trata-se de um registo de uma transação entre um comprador português e um vendedor belga”, garantiu ao Público fonte da ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica), que explicou também que não se sabe se as seis caixas de 30 ovos estavam ou não contaminadas.

Os ovos terão sido comprados a 19 de agosto em Bruxelas, largos dias depois de o alerta de contaminação ter sido dado em vários países da União Europeia — Bélgica incluída — e de a porta-voz da Comissão Europeia, Anna-Kaisa Itkonen, ter garantido que a situação estava controlada, com os ovos contaminados já fora do mercado.

Ao mesmo jornal, fonte do Ministério da Agricultura português disse que vai pedir a retirada do país da lista de países afetados pelo problema.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Feminismo

Princesas da superficialidade /premium

Alexandre Homem Cristo
682

Uma campanha que, com base em evidências, pode levar a ganhos de saúde das mulheres e, sobretudo, das jovens mulheres, não pode ser qualificada de misógina. Pelo contrário, deve ser aplaudida.

Saúde Pública

As vidas desfeitas pelo consumo de tabaco

Francisco Miranda Rodrigues
176

As campanhas públicas antitabágicas levam à redução do número de pessoas que começam a fumar, aumentam o número de fumadores que cessam o consumo tabágico, tendem a salvar vidas e a poupar dinheiro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)