A Direção Geral de Alimentação e Veterinária já tinha garantido que os ovos comprados por um empresário português na Bélgica nunca chegaram ao país, que só faz parte da lista de Estados-membros da UE afetados pelo caso da contaminação com o pesticida tóxico fipronil por causa da nacionalidade do comprador. Agora sabe-se porquê: os 180 ovos de casca branca potencialmente perigosos foram comprados por uma empresa de construção civil registada em Portugal mas a operar naquele país, e terão sido totalmente consumidos na cantina naquele país.

“Segundo a informação reportada, trata-se de um registo de uma transação entre um comprador português e um vendedor belga”, garantiu ao Público fonte da ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica), que explicou também que não se sabe se as seis caixas de 30 ovos estavam ou não contaminadas.

Os ovos terão sido comprados a 19 de agosto em Bruxelas, largos dias depois de o alerta de contaminação ter sido dado em vários países da União Europeia — Bélgica incluída — e de a porta-voz da Comissão Europeia, Anna-Kaisa Itkonen, ter garantido que a situação estava controlada, com os ovos contaminados já fora do mercado.

Ao mesmo jornal, fonte do Ministério da Agricultura português disse que vai pedir a retirada do país da lista de países afetados pelo problema.