O governo preparou um novo reforço da rede de pré-escolar na zona da Grande Lisboa para o ano letivo que arranca neste mês de setembro: ao todo, são mais 70 salas com capacidade para receber 1.750 crianças, confirmou o ministério da Educação ao Diário de Notícias. Mas, de acordo com o jornal, esta ampliação continua a ser insuficiente para responder à procura de vagas na área metropolitana da capital.

Este reforço é, ainda assim, maior do que aquele que tinha sido anunciado em julho, no parlamento, pela secretária de Estado adjunta e da Educação, Alexandra Leitão. Na altura, estava prevista a criação de mais 50 salas para garantir a cobertura de 100% dos concelhos de Almada, Seixal, Lisboa, Oeiras, Cascais e Sintra. Agora confirma-se que serão mais 20 salas do que tido sido inicialmente planeado.

Ainda assim, de acordo com o DN, que recolheu informação junto de várias entidades e associações de pais, a procura ainda supera largamente a oferta de vagas. As estimativas apontam para uma carência que pode chegar a 3.000 lugares.

As estimativas têm em conta a lotação prevista das salas – 25 alunos por cada uma, 20 nos casos de estudantes com necessidades especiais -, que está acima do que o próprio governo tinha previsto para este ano letivo. A recente denúncia dos casos de matrículas falsas e de pedidos de colocação fora das habituais zonas de residência é um dos sinais dessa mesma procura de lugares.