Esta quarta-feira, pouco antes da votação da lei para convocar um referendo sobre a independência da Catalunha, deputados de vários partidos da oposição que denunciaram a ilegalidade da votação — Cidadãos, Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e Partido Popular (PP) — abandonaram a sessão plenária. Os deputados do PP deixaram na bancada do partido bandeiras catalãs e espanholas juntas.

A polémica começou depois. Após os deputados do PP terem abandonado o Parlamento catalão, uma deputada do Podemos, Àngels Martínez, foi até à bancada do partido, apesar da dificuldade em andar, e retirou as bandeiras espanholas, deixando apenas as da Catalunha.

Depois de ter retirado todas as bandeiras de Espanha, Àngels Martínez entregou-as à deputada Eulàlia Reguant, do partido Candidatura d’Unitat Popular (CUP). Mais tarde, Reguant publicou uma fotografia ao lado de Martínez no Twitter, onde lhe agradece. Na publicação, a deputada do CUP acrescentou: “Para aqueles que querem aqueles trapos que me foram dados, eu não os tenho“. O que deixa a questão: onde estão as bandeiras?

Numa tentativa de responder à questão, o jornal El Español contactou o CUP mas não obteve resposta. O Partido Popular — partido dos deputados que abandonaram a sessão plenária e deixaram as bandeiras na bancada — não sabe onde estão as bandeiras e denunciou a atitude da deputada Àngels Martinez.

Carme Forcadell, presidente do Parlamento, repreendeu a atitude de Martinez, quando começou a remover as bandeiras. O próprio Pablo Iglesias, secretário-geral do Podemos, pediu a Àngels Martinez que pedisse desculpa por retirar as bandeiras da Espanha. Mas a deputada recusou.

“A minha bandeira espanhola é a republicana, aquela pela qual o meu pai lutou e que eu defendi ao longo da minha vida. Essa eu não teria retirado”, explicou Àngels Martinez numa entrevista à Rac1.

Àngels Martínez tem 69 anos e é deputada do Podemos no Parlamento da Catalunha desde 2015. É uma militante histórica do Partido Socialista Unificado de Cataluña (PSUC), um partido comunista que existiu entre 1936 e 1987. Martínez é a quarta da lista candidata às eleições autárquicas de 2015 em Barcelona, a Catalunya Sí que es Pot, uma coligação formada nesse ano entre quatro partidos de esquerda: Podemos, Iniciativa per Catalunya Verds (ICV), Esquerra Unida i Alternativa (EUiA) e Equo.