A subvenção das contas da luz e da água, anunciada após o corte no fornecimento na sequência da passagem do tufão Hato por Macau, o mais forte em 53 anos, vai ser aplicada a partir do próximo mês.

A fatura de outubro da Companhia de Eletricidade de Macau (CEM) vai contar com uma subvenção de 1.500 patacas (154,5 euros), enquanto a da Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau, referente aos meses de outubro e novembro, terá um abate de 500 patacas (51,5 euros), indicou a Fundação Macau.

A medida de atribuição de 2.000 patacas (205 euros) para atenuar as contas da luz e da água foi anunciada no âmbito de um pacote de apoios financeiros, um dia depois da passagem do tufão Hato por Macau, em 23 de agosto, que fez dez mortos, mais de 240 feridos e deixou um rasto de destruição na cidade que sofreu interrupções no fornecimento de eletricidade e de água. Mais de um quarto (29%) da área de Macau ficou inundada, estimando-se que o nível da água tenha atingido 5,5 metros de altura na zona ribeirinha do Porto Interior, na península de Macau.

Segundo uma estimativa preliminar, avançada na quarta-feira pelo Governo, os prejuízos deixados pelo tufão Hato ascendem a 11,4 mil milhões de patacas (1,2 mil milhões de euros): 8,3 mil milhões em diretos e 3,16 mil milhões em indiretos.